segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Homenagem

O que fazer
quando as lagrimas
já não conseguem levar a dor embora

O que dizer
quando já não há explicações ou palavras
para descrever tamanha tristeza

Quando os  seus sorrisos
vem sempre acompanhado de um grande vazio

Como se justificar quando outros abraços já não são suficientes
 que o seu abraço mais desejado se foi para sempre

Acordar de manhã diante de tantas perdas
nos parece difícil
Ir dormir sem um ultimo boa noite nos parece impossível

Mas a luz de tantos sonhos nunca será apagada
a beleza da juventude nunca será esquecida


E a chama do amor sempre estará acesa
no coração daqueles que um dia os amaram



**Dedico este poema a todas as vitimas do incêndio de Santa-Maria
e aos seu familiares.




quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Gosto do teu jeito
de me fazer sorrir com os olhos
de me arrepiar o corpo inteiro


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Memórias de um garoto de Mississipi



E minha namorada desmaiou em meus braços, eu não sabia o que ela tinha, mas estava claro que ela estava muito doente, tentei não dar bola para aquilo e segui viajem.  Depois de algumas horas tudo ficou muito mais claro: Ela morreria.  Olhei para ela por alguns instantes, há minha doce Anne, seria uma pena vê-la em um caixão, pois mesmo agora doente  e aterradoramente frágil, ela continuava sendo de uma beleza estonteante.  Por fim chegamos a um hotel na beira da estrada, eu a deitei naquela cama fétida e miserável que só um hotel de beira de estrada poderia oferecer e a observei dormir, a respiração dela era regular e eu me lembrei de momentos  há muito tempo esquecidos, de quando éramos crianças e brincávamos em nossos quintais no estado do Mississipi, eu queria dizer à ela que depois de todos esses anos eu havia finalmente descoberto o  que eu sentia por ela , e essa descoberta fora inerte e sem ar naquele quarto frio de hotel. Ela continuava lá com seu sono irregular, parecia estar sonhando com alguma coisa, eu ainda me lembrava de como havia conhecido ela, no primeiro segundo que a vi fiquei intrigado com aqueles grandes olhos que pareciam duas pérolas negras, eu apenas não entendo como ela tinha se apaixonado por algo tão horrendo que era a minha existência, pois mesmo naquela época muitas a queriam; Eu costumava chamá-la de lábios de chocolate, lembro-me também do meu primeiro beijo, fora num verão embaixo de uma arvore que eu já não lembro o nome, ambos tínhamos treze anos e a sensação de tocar aqueles lábios frescos pela primeira vez foi tão espetacular que eu voltei para casa tremendo e fiquei extasiado por dias.
Ficamos no mesmo hotel semanas e semanas, algumas vezes ela acordava e pedia por água, mas na maioria do tempo o sono dela era tão profundo que eu temia que ela morresse sem eu perceber, durante anos ela se jogara em meus braços jurando amor eterno, e naqueles momentos eu apenas não sabia o que dizer, pobre Anne como ela devia ter sofrido por aquilo, e mesmo depois de tanta indiferença o sorriso dela ainda era alegre e esperançoso como se ela soubesse que algum dia eu diria algumas palavras de conforto. Na noite de inverno em frente a lareira eu a desejava tanto, cada parte do corpo dela era  pra mim um lugar misterioso e mágico e eu queria explorá-lo dia após dia. Mas agora ela estava deitada imóvel naquela cama, eu passava o tempo a olhando e rezando para ela melhorar, porque eu ela sempre fomos a igreja e eu não admitiria que Deus me abandonasse naquela hora.
Numa noite sai pra fumar, habito que ela havia insistido para que eu largasse, quando voltei ao quarto a encontrei sentada na cama quente e sólida, como se nunca tivesse estado doente, eu caminhei até ela devagar com lagrimas nos olhos, nas mãos ela tinha uma das peças de Shakespeare, eu sabia que ela o adorava. Eu te amo Anne, eu disse bem baixinho  e ela me olhou como seu eu tivesse dito aquilo a vida toda, quase sem voz ela me disse : Eu também te amo.
Nessa mesma noite nos amamos como se fosse a ultima vez, e uma voz que não queria ouvir lá no fundo me dizia que era a ultima vez. Naquela manhã eu acordei e olhei para o lado pronto para esboçar um sorriso, mas ela estava com os olhos vidrados no teto de madeira, meu deus Anne tinha morrido.
O enterro dela foi chuvoso, decidi enterrá-la embaixo da arvore onde tínhamos dando o nosso primeiro beijo, o padre dizia palavras mas eu não estava ouvindo, tudo que eu pensava era em como Deus tinha me abandonado  e levado minha pequena namorada junto com ele.Eu era o único  no enterro, pois eu era tudo que a órfã Anne tinha. Aquele dia foi terrivelmente sem sabor para mim, Anne estava morta e eu estava sozinho.  De repente me lembrei daquele verão quando tínhamos quinze anos, ela havia me feito jurar que estaria com ela para todo o sempre e que a seguiria a qualquer lugar que ela fosse naquela época Anne estava tão perfeita, que não havia sido problema fazer o juramento. Eu sai porta a fora da nossa antiga casa no Mississipi, e peguei minha linda Mercedes branca, o carro que ela tinha escolhido, e procurei um penhasco, por alguns minutos o carro apenas correu numa fração de segundos um frio na barriga, mas por fim eu estaria com ela para todo o sempre. 

O menino

Alegria gritavam seus versos
de longe ouvia-se a cantoria
para quem quisesse escutar

Ele era poeta e menino
e só queria brincar

Brincava com as palavras
se escondia
se encontrava

Era dia toda noite
e toda noite era dia

E quando se cansava
jogava foras e lápis e palavras
e pensava em descansar

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Doce ilusão

Silenciosamente me agarro aos seus desejos
vejo você dançando suavemente
em alegres lampejos

Me ofuscando com sua bela alegria
me agarro a ti com contida  histeria

Olhando o céu a noite
procuro as suas asas de anjo
tento tocar as estrelas

Mas você nunca aparece
numa noite qualquer te vejo sentado na lua
e eu silêncio
admirando sua silhueta suave e nua





sábado, 12 de janeiro de 2013

A pessoa


A pessoa entra na sua vida e começa a significar tudo pra você
você de repente começa a pensar nela a todo minuto
simplesmente precisa dela pra viver


 A pessoa te magoa uma vez
e você percebe que talvez não signifique nada pra ela

A pessoa diz que te ama as vezes
e você quer acreditar
você precisa acreditar
mas seu coração já está tão quebrado
e você tem medo

Você apenas quer fugir de tudo isso
mas está sozinho

E todas as noites você chora
e adormece agarrado a boas lembranças

De manhã você liga pra pessoa
começa a fazer planos
e por um instante você está feliz

E não importa o quão cruéis e triste sejam aquelas palavras
você faria absolutamente tudo pra ver a pessoa sorrir ao menos uma vez

domingo, 6 de janeiro de 2013

sobre 2012



Finalmente percebi quanta coisa mudou nesses últimos tempos, eu simplesmente não sou  quem eu costumava ser, e todos aqueles sorrisos que eu distribuía constantemente fazem parte do passado.Todos aqueles momentos em que fui boba e ingenua , hoje já não fazem parte de mim.
Mas ainda continuo com esse medo irremediável de me perder entre as lições da vida, de simplesmente não encontrar o caminho  e me ver sozinha sem a presença das pessoas que tanto valorizo.
Não posso dizer que não sou feliz na atualidade , mas não posso mais dormir com a luz acesa, não posso mais ser aquela criança que achava que o mundo estava em suas mãos.
Oh céus, ninguém sabe como eu me importo, me importo tanto que chega a doer, cada fibra do meu corpo é feita de preocupação e carinho para com os outros, mas parece que não consigo demonstrar o suficiente, sempre me falta algo para ser melhor e para fazer a vida dos que amo melhor
Eu quero alegria, eu quero harmonia,e acima de tudo quero realizar meus sonhos, porque apesar de tudo, sonhar ainda é o melhor da vida, e creio que só através deles posso tornar o mundo melhor..

sábado, 5 de janeiro de 2013

domingo

Entre os teus rompantes de raiva
eu conseguia captar alguma doçura
e nesses momentos eu me sentia a pessoa mais feliz do mundo

Eu queria que o domingo chegasse
e rezava incessantemente pra você gostar

Durante a semana eu temia
chorava e te acalmava

Só pra no domingo
você gostar

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Minhas alucinações

A casa passo
minha mente revela o meus olhos não podem ver

Tento fugir das minha alucinações
e me protejo no calor do seu peito

Meu coração bate junto com o seu
e eu me levanto só um pouquinho para sentir o cheiro do seu cabelo

Você me ganha com a sua ternura
e depois me vira do avesso com selvageria

E sem perceber eu me entrego a cada beijo
a cada toque
e  cada abraço seu

Deixando me levar
pelas ondas do seu amor